Ampliar o uso da água da chuva pode ser a chave para uma mudança de cultura que aumente sua reutilização

 

Reutilização da água

A água drenada em áreas externas (rodovias, ruas, centros comerciais e esportivos, túneis urbanos, etc) também pode integrar sistemas de drenagem que possibilitem ampliar sua reutilização. Assim como a drenagem segura é uma prerrogativa nas rodovias, os sistemas de drenagem podem ser integrados às áreas urbanas com a mesma resistência e longevidade, garantindo baixo custo de manutenção em cadeias de drenagem de água.

Sistemas já existentes podem levar a água para tanques de armazenamento, mas é o reuso que pode começar a mudar a maneira como gerimos a água.

A ACO é especialista na fabricação de sistemas de drenagem de alta resistência e apresenta soluções para a reutilização da água. Parte do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, divulgado em 2016, alerta para a relação direta entre ‘Água e Emprego’. O documento diz que indústria e manufatura representam aproximadamente 4% da captação mundial de água, e também prevê que, até 2050, somente a manufatura poderá aumentar seu uso de recursos hídricos em 400%.

Um desafio imediato é aumentar o reuso ampliando a captação. Segundo o documento, com a melhoria da tecnologia industrial, esse setor tem tomado medidas de redução de consumo de água por unidade produzida. Portanto, novas ações de coleta e armazenamento podem alimentar inovações vitais para esse desenvolvimento e mudança de cultura.

Canais da linha ACO Monoblock®, fabricados em concreto polímero exclusivo, muitas vezes podem ser a ‘porta de entrada’ de grandes sistemas de drenagem e coleta de água. Além de atender todos os requisitos de segurança de tráfego e as normas de legislação brasileiras e internacionais, possuem capacidade hidráulica para atender até as chuvas mais intensas, captando a água, que deverá ser retida ou armazenada em tanques. Após essa etapa, podem ser conduzidos projetos que efetivamente tragam inovação ao uso final da água.

 

Tanque constituído de peças empilháveis

ACO Stormbrixx®, por exemplo, é um sistema de atenuação e infiltração de água pluvial, que traz um conceito que se popularizou no mundo todo por ser utilizado na fabricação de brinquedos: são peças plásticas que se encaixam, permitindo inúmeras combinações. Módulos de polipropileno (PP) combinados podem constituir um tanque conforme as necessidades do projeto. E suas peças leves e empilháveis reduzem drasticamente os gastos em logística e instalação.

“Trata-se de um sistema com 95% de vazios, disponíveis para guardar água e que permite uma escavação minimizada para a instalação, melhorando as características do fluxo de escoamento da água e que pode ser aplicado em diversas escalas de projeto. Uma etapa ‘puxa’ a outra em um projeto integrado de drenagem e é a tecnologia que define o reuso dessa água no dia a dia. A estrutura de célula aberta permite acesso livre para inspeção por câmera, além de utilização de equipamentos de limpeza em todo o sistema, ou seja, é uma solução que desencadeia custos menores da instalação à manutenção, e por isso permite repensar o uso da água coletada”, explica o engenheiro e Diretor da ACO para América do Sul, Fernando Hermann Wickert.

Em projetos integrados de drenagem, a tecnologia ampara a execução e garante a viabilidade da obra. Além disso, a drenagem deve estar alinhada à performance na gestão do recurso.

O Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos também alerta que o aumento da demanda por recursos hídricos em locais de escassez ou onde exista alta competição, cria a necessidade de se usar ‘fontes não convencionais’ de água, como os poços e as nascentes de baixo rendimento, águas pluviais, escoamento urbano e reciclagem de águas residuais. Diz ainda que esse uso criará novos empregos, não apenas pelo desenvolvimento de novas tecnologias, mas também porque permitirá novas formas de usos intensivos de água, assim como a operação e a manutenção de estações de tratamento para recuperar a água.

ACO: Central de Operações e Abastecimento da América do Sul

A ACO está no Brasil desde 2010 e inaugurou a primeira fábrica da América Latina em 2016, na cidade de Jacareí (SP). Tornou-se Central de Abastecimento para países da América do Sul, com soluções para drenagem residencial e profissional, pré-tratamento, retenção e liberação controlada, e reutilização de recursos hídricos.

Concentrada em cuidar da água e das pessoas, a ACO desenvolve sistemas de alta tecnologia para manter os ciclos de água limpa na indústria, agricultura, transporte e comércio, e proteger o meio ambiente.

A Unidade Produtiva brasileira tem uma área de 10.000m2 e produz dezenas de milhares de canais de drenagem pré-fabricados em concreto polímero exclusivo, – aliando design, longevidade e eficiência à projetos integrados de drenagem, em diversas escalas.

Fundada há 70 anos, na Alemanha, a marca está presente em mais de 40 países – na Europa, América, Ásia, Oceania e África. Soma 30 unidades produtivas e uma força de trabalho global de 4200 pessoas. Em 2016, o Grupo ACO gerou vendas de 711 milhões de euros.

 

Alinhavo Assessoria

Entre em contato: imprensa@acodrenagem.com.br